Você está em: Inicial » Angola // Brasil // Cabo Verde // Ciência // Curiosidades // Goa, Damão e Diu // Guiné-Bissau // Macau // Matérias Especiais // Moçambique // Países // Portugal // São Tomé e Príncipe // Timor Leste » Importantes descobertas científicas por acaso

Importantes descobertas científicas por acaso

Muitas vezes, uma procura por algo acabou acarretando no descobrimento de outros, em algumas ocasiões, por motivos tão simples como esquecer de lavar as mãos.

A mais famosa dessas invenções acidentais foi, naturalmente, a penicilina, e aqui você poderá conhecer, não só essa, como muitas outras histórias de descobertas acidentais.

Nessa matéria, listamos 12 ocasiões inusitadas que levaram a descobertas científicas importantes por pura serendipidade – termo usado para descobertas que são feitas “sem querer”.

1. No início de 1990, a Pfizer estava testando uma droga chamada UK92480, destinada a tratar pacientes com angina, um precursor comum para ataques cardíacos, envolvendo a constrição dos vasos sanguíneos que irrigam o coração.

A empresa esperava que a droga fosse capaz de ‘relaxar’ os vasos sanguíneos. A droga falhou nesse aspecto, mas os testes revelaram um efeito bastante “curioso” abaixo da cintura dos pacientes, especialmente nos homens, e assim foi criado a famosa pílula azul, chamada de Viagra. Não à toa, um dos efeito colateral do medicamento, é, possivelmente, causar ataques de coração.

2. Em 1907, o químico belga Leo Baekeland estava tentando encontrar um substituto para a goma-laca, uma resina secretada por um besouro do Sul da Ásia, mas ao invés disso, ele produziu o primeiro plástico do mundo. Ao combinar formaldeído com fenol, um produto de resíduos de alcatrão de carvão, e misturar com outros materiais, Baekeland criou acidentalmente um polímero não condutor e resistente ao calor, usado em praticamente tudo o que você vê ao nosso redor. Sem muita modéstia, ele nomeou o plástico como “Bakelite”, para honrar a si mesmo.

3. Você sabe qual produto pode ser derivado do alcatrão de carvão? A sacarina, claro. E a descoberta do primeiro adoçante artificial do mundo aconteceu porque o químico russo Constantin Fahlburg, esqueceu de lavar as mãos. Em 1879, depois de passar um dia criando reações de alcatrão de carvão com fósforo, amônia e outras substâncias químicas, ele percebeu, ao chegar em casa, que suas mãos estavam doces. Nascia o adoçante!

4. O forno de microondas foi inventado em 1945, quando um engenheiro chamado Percy Spencer Raytheon estava brincando com as fontes de energia dos equipamentos de radar. Então, ele percebeu que a barra de chocolate em suas calças estava derretendo. Ele celebrou sua descoberta consumindo um belo fondue de bolso.

5. O físico alemão Wilhelm Röntgen, que descobriu os raios X, em 1895, também não tinha essa intenção. Ele estava realizando experimentos com tubos de raios catódicos, quando notou um brilho estranho em seu laboratório escuro, a uma certa distância do tubo.

Röntgen acreditou que um novo tipo de radiação havia sido a responsável, e por isso, chamou de “raios X”, sendo o X designado como o fator desconhecido. Eles poderiam passar através de papel, madeira, e até mesmo a pele. Röntgen utilizou a técnica de raios-X pela primeira vez, nas mãos de sua esposa. Ao ver a imagem, ela disse: “Eu vi a minha própria morte!”.

6. Os raios-X causaram tanto rebuliço na comunidade científica que outra descoberta acidental de radiação aconteceu, logo em seguida. Na França, em 1896, Antoine Henri Becquerel, foi testar a hipótese de que a luz solar poderia causar reações no urânio, fazendo-o emitir raios-X, e esses raios iriam expor filmes fotográficos. Mas, neste caso de serendipidade científica, alguns dias nublados forçaram Becquerel a, literalmente, guardar sua experiência dentro de uma gaveta fechada. Depois, pensando em como desenvolver o filme, Becquerel ficou surpreso ao descobrir que o material tinha sido exposto, e percebeu que o próprio urânio emitia esta radiação invisível.

7. Em 1839, Charles Goodyear deixou cair, acidentalmente, uma mistura de borracha, enxofre, e chumbo em um fogão quente. A mistura endureceu, mas ainda era utilizável. O mundo, finalmente, teve uma borracha realmente durável, resistente ao calor e frio – usada mundialmente em diversas aplicações, inclusive pneus.

8. Robert Chesebrough queria ficar rico explorando os campos de petróleo, mas, em 1859, ele percebeu que trabalhadores estavam reclamando a respeito da “Rod Wax”, uma substância irritante, parecida com a cera, que entupia seus equipamentos de perfuração. Chesebrough chamou-a de vaselina, e passou a usá-la para tratar cortes e queimaduras. Ele até chegou a comeu uma colher do material, diariamente.

9. Wilson Greatbatch estava trabalhando em um aparelho que captava batimentos cardíacos, no final de 1950, quando, acidentalmente, instalou o resistor errado. O dispositivo começou a criar um pulso elétrico rítmico e Greatbatch percebeu que ele poderia ser usado para regular um coração humano. Criou-se um marcapasso útil, que revolucionaria a medicina.

10. Em 1827, o farmacêutico inglês, John Walker, estava mexendo um pote de produtos químicos que incluíam sulfeto de antimônio e clorato de potássio, e notou a formação de caroços secos no final de sua vara de mistura. Para tirar o caroço, ele esfregou a ponta da vara em uma superfície e uma chama surgiu. Surgia assim, o primeiro palito de fósforos da humanidade.

11. Apesar do que você já possa ter ouvido, a NASA não inventou o Velcro. Em 1941, um engenheiro elétrico suíço chamado George de Mestral, notou como sementes de Xanthium ( gênero botânico pertencente à família Asteraceae) grudavam na pele de seu cão, facilmente. Analisando a estrutura da planta, ele modelou o Velcro após copiar os minúsculos ganchos da Xanthium, que tão facilmente grudavam na roupa e na pele.

12. O químico da DuPont, Roy Plunkett, estava trabalhando em um novo refrigerador de clorofluorcarbono, em 1938, quando ele acabou mudando a vida de cozinheiros em todo o mundo. Ele tentou combinar ácido clorídrico com o gás tetrafluoretileno. Ao separar o gás, ele precisou resfriar e pressurizar o gás em latas.

Ao abrir as latas no dia seguinte, elas estavam vazias, porém, como se o peso continuasse o mesmo de quando estavam cheias. Ele notou que elas haviam aderido à superfície interna da lata.  Assim ele descobriu, acidentalmente, um novo polímero chamado de politetrafluoretileno, mais conhecido como Teflon.

Gostou dessas descobertas por acaso? Aguarde a segunda parte da matéria e conheça outras 12 invenções que mudaram o mundo.

Deixe um comentário





Voltar à página anterior Imprimir esta página

Patrocinadores

  • logo_aa

Design e Desenvolvimento - MagicSite Internet Solutions