Você está em: Inicial » Angola // Brasil // Cabo Verde // Crônicas // Galiza // Goa, Damão e Diu // Guiné-Bissau // Literatura Prosa // Macau // Matérias Especiais // Moçambique // Países // Portugal // São Tomé e Príncipe // Timor Leste » Expulsão do Paraíso e Resenha sobre a escritora Nilza Amaral

Expulsão do Paraíso e Resenha sobre a escritora Nilza Amaral

A autora em questão é Nilza Amaral. Professora de literatura, língua portuguesa e língua inglesa. Começou sua carreira ganhando prêmios literários e não parou nunca mais.
A obra em questão é Expulsão do paraíso. O livro é fino e pequeno, mas em termos de ideias e filosofias o livro é maior do que muita coletânea de porcarias que agente vê por aí, trata-se de um livro repleto de tendências filosóficas.
A história se divide em duas partes, a primeira com o sertanejo magrelo faminto e desacreditado, Severo, seu cachorro desnutrido e desdentado e uma ira contra deus pelo destino terrível que lhe foi dado. Depois Joana Sabina que vive numa ilha sozinha com o pai para tentar escapar de uma profecia horrível, mas a jovem se vê seduzida pelo homem-boto. Por fim, temos Maura Lúcia que descobre ilusões que acredita serem pequenos paraísos. 
A primeira impressão que tive ao ler o livro foi: Putz, essa autora fumou um baseado quilométrico antes de escrever isso aqui. 
Depois eu parei, voltei o livro e o encarei com outros olhos, uma visão ampla, uma compreensão trabalhada, me dei conta de que as três histórias realmente tinham algo em comum e mais ainda, acabei levando uma aula de filosofia e admiti para mim mesmo que por trás daquela coisa aparentemente sem sentido estava a manifestação da genialidade de uma mulher inteligentíssima.

O problema é que ela é tão inteligente que às vezes é difícil compreendê-la, mas acho que me saí bem no final das contas. O que ela faz é um exercício do existencialismo de Jean-Paul Sartre. 
O existencialismo foca a prática filosófica na ação do homem, mas não em forma coletiva, na verdade é algo bem íntimo mesmo. O homem, no seu íntimo começa a refletir sobre o mundo que o cerca e que para ele mesmo não faz sentido nenhum, e por aí vai, na verdade o existencialismo é bem difundido na literatura, além de Sartre temos Nietzsche e Albert Camus, além do que, o existencialismo é uma grande influencia para a contracultura. A questão é que quando peguei o livro pela primeira vez, não estava preparado para receber uma carga tão grande de inteligência.
É um livro que merece ser lido com toda a atenção do mundo e apesar de ser pequeno, deve ser lido devagar, ser saboreado e toda uma reflexão se faz necessária em cada página dessa grande obra.
 
autor
nacional
Share on facebook Share on twitter Share on blogger Share on pinterest_share Share on google_plusone_share More Sharing Services0 
Artigo anterior

1 Comentário + Comentar

Deixe um comentário





Voltar à página anterior Imprimir esta página

Patrocinadores

  • logo_aa

Design e Desenvolvimento - MagicSite Internet Solutions