Você está em: Inicial » Angola // Brasil // Cabo Verde // Curiosidades // Galiza // Goa, Damão e Diu // Guiné-Bissau // Macau // Moçambique // Países // Portugal // São Tomé e Príncipe // Timor Leste » PRÓSTATA E O PERIGO DE UM MÉDICO SUSPEITO COM FALTA DE ESCRÚPULO

PRÓSTATA E O PERIGO DE UM MÉDICO SUSPEITO COM FALTA DE ESCRÚPULO

https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/profile_mask2.png

Roldão

17:15 (23 horas atrás)

https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif

para destinatários desconhecidos

https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif

REPASSANDO:

Caro Dario,

Não faltasse mais nada, aqui nos Estados Unidos, fui picaretado por um urologista:

Mandou-me colher sangue, para fins do PSA, APÓS FAZER O TOQUE!

Acontece que eu tinha feito um PSA test  dois meses antes, com o meu médico clínico geral, e tinha dado normal, cerca de 3.0!

Não existe o caso do PSA subir tão rápido. Sempre cresce lentamente, quando é o caso de crescer.

O resultado do exame do PSA, solicitado pelo urologista,  – quando voltei para consulta de acompanhamento – deu 5,9!

E o urologista me ‘convocou’ para me submeter a uma biópsia no hospital com quem ele trabalha, a qual seria feita dias depois!

 

Acontece que uma biópsia hospitalar, na qual eu teria que ser anestesiado, iria custar (o urologista e o hospital iriam faturar) cerca de 8 mil dólares de hoje!

 

Invocado pelo resultado inusitado do PSA pedido pelo urologista, e tendo tido como testemunha minha filha casada com um gastroenterologista, também licenciado para fazer clínica geral (ela me tinha acompanhado à consulta ‘just in case’), rebatí o urologista, dizendo que iria ter uma segunda opinião (ao que ele demostrou no semblante alguma preocupação).

 

Minha filha, então, trocou ideias com meu genro.

 

E meu genro aventou a hipótese de o urologista ter-me ‘manuseado’ em demasia (eufemismo para, picaretadamente, ‘apertar’ a próstrata, liberando na corrente sanguínea um excesso do antígeno).

 

Alguns meses depois, com meu clínico geral, repetí o PSA, e deu algo como 3,9 (quando o seu PSA sobe – no caso a subida foi ‘forçada’ pelo urologista), ele leva meses para ir se reduzindo. A redução é sempre muito lenta!

 

De qualquer maneira, se você esta’ ‘entrado’ nos 70s, um PSA da ordem de 5,0 é quase uma normalidade (o porquê não sei, mas tenho lido a respeito).

 MORAL DA ESTÓRIA!NUNCA  DEIXE  O MÉDICO FAZER  O TOQUE ANTES DE RETIRAR O SANGUE PARA FINS DE DETERMINAÇÃO DO PSA. Qualquer médico honesto, urologista ou clínico geral, sabe que é assim que se deve proceder, NUNCA AO CONTRÁRIO!   Tal recomendação faz parte da literatura médica honesta!

Estou enviando este como uma ‘rajada’, ocultamente.

 

Obrigado pela informação abaixo!

 

Abraços para você e todos,

 

Wilson Chiareli

 

 

 

From: Dario

Sent: Thursday, May 09, 2013 9:31 PM

To: Dario 

Subject: ENC: CÂNCER DE PRÓSTATA

 

REPASSANDO COMENTÁRIOS DE UM COLEGA SEPTUAGENÁRIO COMO QUASE TODOS NÓS SOBRE O ASSUNTO.

ACHEI QUE SERIA ÚTIL E, POR ESSE MOTIVO, REPASSO.

Assunto: CÂNCER DE PRÓSTATA

AMIGOS

A  revista  AMERICAN  SCIENTIFIC    publicou recentemente   um  artigo  do Dr.  Marc  B.  Garnick,  médico  e  pesquisador,  especialista  em  câncer  de próstata,  da  Harvard  Medical  School  e  do  Boston  Beth  Israel   Medical  Center,  editor-chefe  do  Harvard  Annual  Report  on  Prostate  Diseases,  sobre  o  câncer  de  próstata  do  qual  extraí  alguns  trechos  que  julgo do interesse  dos  amigos.

“Em  2011,  uma  Task  Force  do  U. S.  Preventive   Services   lançou  um  alerta:  “homens  saudáveis  devem  parar  de  se  submeter    a  exames  rotineiros  de   PSA   (antígeno   prostático  específico)  para  rastrear   o  câncer  de próstata”.

O   Task  Force   concluiu  que  “pouco  ou  nenhum   benefício”   advém  desse  rastreamento.

Desde   1985,  mais  de  1   MILHÃO   de  homens  foram tratados “com  base  no  exame  de  forma    indevida”.     O artigo  aponta  a  fragilidade  do  rastreamento.”O público não percebe como complicações podem ser  comuns,  mesmo  com  um  tratamento  sofisticado”

“As  controvérsias  surgiram  porque  o  exame  de rastreamento  e  os  tratamentos  são profundamente   falhos”. “Num mundo perfeito, um  exame  de rastreamento  identificaria  apenas  cânceres  letais  e  não  tratados.  Assim  os  homens  com  tumores  pequenos  e  curáveis  seriam  medicados   e  vidas  seriam  salvas”.   “A  realidade,  no  entanto,  é  muito  diferente”

“Um  teste  positivo  indica  que  os  homens  devem  se  submeter   a  uma  biópsia.   O verdadeiro  problema   é  que  os  médicos  não dispoem  de  uma  forma  confiável  para  determinar  quais  desses  pequenos  tumores identificados  pela  biópsia  são potencialmente  perigosos e  quais  nunca  incomodarão  um  homem  durante  sua  vida”.

“Baseado  em  autópsias,  nos  Estados  Unidos,  mais  da  metade  dos  homens  com  50  anos   e  3/4   dos  homens  na  faixa  dos 80  anos   tinham  câncer  de próstata   e  morreram  por   outros  motivos”.

 

 

“Essa  incerteza   significa  que  os  médicos  não  sabem  quem  precisa  de  tratamento para  sobreviver   e  quem  estaria  bem  sem  ele  Cada  tipo  de  tratamento   traz   seus  próprios  efeitos  colaterais”.

“Em  2008,  a  Task  Force    do  US  PREVENTIVE  SERVICES   examinou  as  diretrizes  do PSA  e  recomendou  aos  médicos  pararem  de  testar  homens  assintomáticos  com  mais   de  75  anos.   Os  dados  mostravam  que,  provavelmente,   morreriam de  outras  causas”.

“Estudos  Europeus   e   americanos    entre  homens    de  50/60   anos,  foram divididos  em  dois  grupos:   um  foi  monitorado com  PSA   e  “Toque  retal”,  e  eventualmente  biópsia. Ao  outro  grupo  não  foram oferecidos  exames.  Apenas  atendimento  médicopadrão  conforme  necessário. Surpreendentemente,  em  nenhum   desses   estudos   os  homens  examinados    e   tratados   viveram  por  mais  tempo”.

“Agora  sabemos  que  muitos  tumores  da  próstata  não  progridem  nada.  Ficam  estacionados”.

“Na  minha  prática,   uma  porcentagem  substancial  dos  homens  que  cuido,  com  câncer  de  próstata,  não está  recebendo  qualquer  tratamento  atualmente”.  

O  autor  cita  o  caso  do  SR.   H,   que,  aos  50  e poucos  anos,  apresentado um  PSA  de  7,  recusou-se   a  ser  operado.   Vinte  anos  depois   continua  vivo  apesar  do PSA  ter  subido para  18.

“Apenas  4%    dos  cânceres  de próstata  espalham-se   para  outros  orgãos,  especialmente  ossos.”

Envio  o  endereço  para  consulta:   www.harvardprostateknowledge.org    para  os  interessados  em  mais  informações.     

O   que  fiz  acima   foi   um  “apanhado”   do  que  julguei de    mais  importante  no  artigo.

BOA    NOITE.  BOA   SORTE

ROBERTO   

1 Comentário + Comentar

Deixe um comentário





Voltar à página anterior Imprimir esta página

Patrocinadores

  • logo_aa

Design e Desenvolvimento - MagicSite Internet Solutions